A OSSO é um colectivo que inclui artistas e investigadores de diferentes áreas (música e artes sonoras, artes plásticas, fotografia, dança, performance, design, arquitectura e cinema). Desde 2012, tem vindo a desenvolver a sua actividade em torno do apoio à criação, investigação, programação e formação, predominantemente transdisciplinar, em colaboração com outros artistas e colectivos, suportada por parcerias públicas e privadas. Os seus projectos, de cariz acentuadamente experimental, procuram explorar práticas artísticas em articulação com um pensamento crítico, estético e político que contemple a especificidade dos contextos e territórios nos quais se inserem.

Depois de ter estado na Fundição de Oeiras (2012-15) e na sede da Trienal de Arquitectura de Lisboa (2016-17), em 2018 a OSSO mudou-se para um novo espaço na aldeia de São Gregório Caldas da Rainha, onde tem vindo a desenvolver um programa de Residências Artísticas, compreendendo o acolhimento de artistas associados da OSSO e outros convidados. Este programa é o centro de um conjunto de actividades nas áreas da criação, formação, programação e investigação artística em articulação com parceiros locais, nacionais e internacionais, sempre atento à comunidade rural onde se insere.
A OSSO pretende deste modo ser um ponto de encontro entre artistas, dialogando activamente com a comunidade local, perspectivando sempre a continuada construção e manutenção de um lugar onde os processos de criação artística são as fundações de um projecto social, político e ecológico de raiz comunitária.


DIRECÇÃO ARTÍSTICA
RICARDO JACINTO

PRODUÇÃO
MARIA JOANA VILELA

COMUNICAÇÃO
RITA THOMAZ

DIRECÇÃO TÉCNICA
NUNO MORÃO

COORDENAÇÃO FORMAÇÃO
TERESA SANTOS

COORDENAÇÃO EDIÇÃO
PEDRO TROPA


ARTISTAS ASSOCIADOS DESDE 2012
ANA GOUVEIA // BEATRIZ CANTINHO // DIOGO ALVIM // FRANCESCA BERTOZZI // GONÇALO ALMEIDA // MATILDE MEIRELES // NUNO MORÃO // NUNO TORRES // PEDRO TROPA // RICARDO JACINTO // RITA THOMAZ // SARA MORAIS // SUSE RIBEIRO // TERESA SANTOS