Coordenação

Pedro Rebelo

Compositor, performer e artista sonoro activo na área da música de câmara, improvisação e instalação. Doutorou-se pela Universidade de Edimburgo em 2002, onde investigou relações entre a música e a arquitectura. A sua música foi apresentada em salas como Melbourne Recital Hall, National Concert Hall Dublin, Queen Elizabeth Hall, Ars Electronica, Casa da Música, e em festivais que incluem Weimarer Frühjahrstage fur zeitgenössische Musik, Wien Modern Festival, Cynetart e Música Viva. Como performer de música improvisada colaborou com músicos como Chris Brown, Mark Applebaum, Carlos Zingaro, Evan Parker e Pauline Oliveros. Pedro tem recentemente iniciado projectos participativos com comunidades em Belfast e nas favela da Maré, Rio de Janeiro. Este trabalho tem resultado em exposições de arte sonora em espaços como o Metropolitan Arts Centre, Belfast, Espaço Ecco em Brasília e Parque Lage e Museu da Maré no Rio.
As suas publicações académicas reflectem a sua atitude perante o design e a composição, articulando a práctica criativa com um entendimento abrangente da teoria da cultura e novas tecnologias. Pedro foi professor convidado na Stanford University (2007) e professor visitante sénior na UFRJ, Brasil (2014). Teve posições de “music chair” de conferências internacionais tal como a ICMC 2008, SMC 2009 e ISMIR 2012. Na Queen’s University Belfast teve posições de director de educação, chefe de departamento na School of Music and Sonic Arts e é, actualmente, professor catedrático e director de investigação da School of Creative Arts, incluindo o Sonic Arts Research Centre. Em 2012 foi-lhe atribuído o prémio “Building Tomorrow’s Belfast” do Northern Bank.

Ricardo Jacinto

Nasceu em Lisboa em 1975. Vive e trabalha em Lisboa e Belfast. Artista sonoro e músico, concentrando-se principalmente na relação entre som e espaço. Actualmente frequenta o programa de Doutoramento do Sonic Arts Research Center (Belfast).
Desde 2001 dirige o projecto intermedia PARQUE e partilha a direcção artística de Eye Height. É membro do OSSO – Associação Cultural e co-programador do projeto ECOS (Escuta e Lugar).
Apresentou o seu trabalho em exposições individuais e colectivas, como Project Room CCB Lisboa, Círculo de Belas Artes em Madrid, MUDAM Luxemburgo, Centro Cultural Gulbenkian (Paris), Manifesta 08, European Bienal de Arte Contemporânea de Itália, Loraine Frac-Metz, OK CENTRE Linz (Austria), CHIADO 8, Culturgest e Casa da Música.
Projectou com o arquitecto Pancho Guedes, a instalação “Lisboscópio” para a Representação Oficial Português na Bienal de Arquitectura de Veneza de 2006. Na Culturgest (Lisboa e Porto) apresentou, em 2008, um extenso conjunto de instalações e performances desde 1998. O seu trabalho de instalação está representado em diversas colecções de arte: Fundação de Serralves, Caixa Geral de Depósitos, Fundação Leal Rios e Fundação PLMJ.
Como violoncelista tem trabalhado no campo da música improvisada com vários músicos e formações (Nuno Torres, Rodrigo Pinheiro, David Maranha, Hernani Faustino, Ernesto Rodrigues, Ricardo Guerreiro, C Spencer Yeh, Shiori Usui, Matt Rogalsky, Manuel Mota, Pedro Rebelo, Franziska Schroeder, Simon Rose, Paul Stapletton, Gabriel Ferrandini, Orquestra de geometria variável, PinkDraft, Cacto, FOIRMFADA, entre outros).
Apresentou o seu trabalho como músico-performer na Fundação de Serralves (Porto), Palais Tokyo (Paris), SARC (Belfast), Festival VERBO (São Paulo), Festival Temps d’ Images (Lisbona), Festival Rescaldo (Lisbon), Festival BigBang (CCB, Lisboa), Culturgest (Porto e Lisboa), ZDB (Lisboa), Dança Base, (Edimburgo), Kabinett 0047 (Oslo), Fundação Calouste Gulbenkian (Paris).

Fotografia / Web Design

Yuri Sousa Lopes Pereira

Escritor e empresário, apaixonado pelo universo digital, pela música e a política. Co-fundador: The Company ASBL, stress.fm e LIN SIN.
Editor Web da European Platform of Women Scientists. Interessado por cinema, jogos e biologia sintética.
chumbo.net

Design Gráfico

Filipe Quaresma

Nasce no final da década de setenta.
Estuda artes plásticas. Interrompe os estudos para se dedicar a viajar, ler, ver filmes e ouvir muita música. No meio disso, entrega-se a inúmeras experiências profissionais ligadas às artes cénicas e visuais.
Actualmente dedica-se quase exclusivamente à produção, design e criação de conteúdos da stress.fm.

Documentação Vídeo

Frederico Lobo

Nasceu em 1981 no Porto. Em 2006 frequentou o curso de documentário dos Ateliers Varan, na Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, no qual realizou a curta-metragem “Entre-Tempos”, premiada com o prémio jovem cineasta no Festival de Curtas de Vila do Conde. Desde aí vem trabalhando em cinema, tendo realizado em 2008 a longa-metragem “Bab Sebta”, co-realizada com Pedro Pinho e a curta-metragem “Zone d’attente #0″. Em 2014 terminou “Revolução Industrial” uma nova longa metragem documental, co-realizada com Tiago Hespanha. Como director de fotografia e engenheiro de som trabalhou com Von Calhau, João Vladimiro, André Gil Mata, Paulo Abreu, Tiago Afonso , entre outros.

Montagem

António Quaresma

Nasceu e viveu nos súburbios de Lisboa até à maioridade, altura em que rumou ao Porto para completar os seus estudos na área da talha e marcenaria, tendo trabalhado vários anos em restauro de mobĩliário e talha dourada.
Sofrendo de indecisão vocacional crónica descobriu no Teatro uma actividade de muitas profissões.
Trabalha desde 1994 no Teatro Nacional de São João (TNSJ) onde exerce funções como responsável da Maquinaria de Cena do Teatro Carlos Alberto (TeCA) e paralelamente tem colaborado em projectos de várias áreas performativas.
Atualmente é também formador da disciplina de Maquinaria na Academia Contemporânea do Espectáculo (ACE). Tosquia cavalos para descontrair.

Comunicação

stress.fm

Produção

jardinsefemeros.pt
osso.pt


Agradecimentos

Maria Denise Gomes Rodrigues
José Alberto Rodrigues de Jesus
Sr. Sousa
Nelson Loureiro
Manuel Oliveira
José Arnaldo António
Augusto
Henrique
António Vicente
Manuel Campos
Alberto Costa
Capitão Carvalho
Lar de S. António
Padre Arménio
Coronel Loureiro